Já disse em outros textos, mas reforço aqui: nossa missão máxima como empresa, através de tudo que fazemos, propiciar pequenas mudanças, contribuir com a felicidade de vocês, oferecer insights valiosos que contribuam com a construção de um sentimento de realização.

Mas seria engano, utópico e até “não humano” entender que esta missão é plenamente realizável, que nossas alunas e alunos, amigas e amigos poderiam chegar a uma vida 100% feliz, 100% realizadora, se considerarmos que felicidade e realização tem a ver apenas com momentos que nos fazem sorrir e situações que saem exatamente como imaginamos: uma vida de plástico.

Insucessos e imprevistos são essenciais para uma vida feliz, mas nem sempre sabemos lidar bem com eles.

A questão é que toda vida terá louça suja, cano estourado, relacionamento que não funciona, plano que não sai como esperado, falhas, decepções. E elas são importantes na construção de uma vida boa, desde que a gente seja capaz de entender isso.

Mesmo com este entendimento, não quer dizer que elas serão gostosas de serem vividas ou livre de dores. Mas dá para melhorar. Pensando nisso, nossa equipe criou um super projeto. Uma coleção de playlists no Spotify para servirem de trilha sonora não para os momentos especiais da vida (nesses, a música já toca na imaginação), mas para os momentos em que geralmente não queremos estar presentes.

É uma pequena ajuda para tornar o momento indesejado menos sofrido, mais compreendido e possivelmente bem humorado. É uma música para amortecer o drama do “não tenho roupa” que acompanha o momento de se arrumar correndo pela manhã. A trilha para arrancar risos enquanto você junta a sujeira do seu pet que insiste em fazer suas necessidades fora do lugar. É a canção que diminui a ansiedade de uma mensagem visualizada e não respondida do crush.

São 10 listas no total. Já tive a possibilidade de testa-las e, caramba, funciona.

O projeto e o momento cobaia me trouxeram, então,o insight para esta segunda e para a vida como um todo: o tamanho da mudança que uma pequena mudança pode provocar. Olhar uma situação angustiante de outro ângulo, entender a frustração como aprendizado, reconhecer a falta como oportunidade, são mínimas mudanças de chave com resultados transformadores.

No outro artigo, quando tratamos de alegria, a partir dos sábios ensinamentos silenciosos (ou melhor, barulhentos) do meu avô, esta ideia já se fazia presente: “devemos buscar na vida diversos motivos para nos alegrar. A vida é um acervo riquíssimo de motivos alegradores: o olhar positivo, o reconhecimento da existência, a contemplação da natureza, o doce de banana, a visita inesperada, a palavra de um padre, uma notícia triste, todos são motivos. Porque no fundo a alegria não está exatamente no objeto que motiva, mas na na percepção daquele que tem contato“.

Logo, nós, tantas vezes em meio a crises internas, angústias e sem saída, que acreditamos em grandes mudanças, em viagens sabáticas, em largar tudo o que torna toda mudança difícil de ser realizada, passamos a contar com o poder de transformação pelo pequeno símbolo. Pelo saber rir da situação, pela palavra que pode ser dita ou pela “Macarena” que pode soar alto nos fones de ouvido.

Agora lhe jogo uma pergunta, quais mudanças você gostaria de fazer em sua vida? O que poderia ser diferente? Como você poderia ter uma vida ainda mais incrível? Pensou? Agora jogo outra: quais são os pequenos gestos, as pequenas mudanças que você pode aplicar que podem provocar pequenas transformações?

Acredite no poder do pequeno, na magia do riso, na força da respiração, na energia transformadora de um banho, no relaxamento de uma conversa ou no borogodó de um Zeca Pagodinho, MC Hammer ou Menudos em alto e bom (ok, se é bom é bem relativo) som!


Esse texto faz parte do projeto #OhHappyMonday e foi enviado, por email, dia 04/09. Se você também quer receber novidades em primeira mão, ganhar descontos e participar de eventos exclusivos, clique aqui!

Comentários

comentários